Voltar

Cultura

Agenda

Cinema

Entrenimento a Bordo


Voltar

Lifestyle

Gastronomia

Vinhos

Inspire-se

Family Trip

Expedição

Colunas


Voltar

Capa

Edição atual

Making of

Celebridades

Edições anteriores


Destino Internacional Destino Internacional Miami para todos os gostos: guia pelos melhores restaurantes

Miami para todos os gostos: guia pelos melhores restaurantes

Carla Lencastre

Acompanhando a revitalização urbana de alguns bairros, restaurantes e bares oferecem opções deliciosas para quem visita a cidade da Flórida

 

Nos últimos 15 anos, a arte contemporânea transformou Miami. A rede hoteleira passou por um boom e empreendimentos cheios de estilo não pararam de surgir. Era só uma questão de tempo para que a gastronomia começasse a acompanhar esse movimento. Hoje, o cenário é um dos mais interessantes dos Estados Unidos, e mistura bem cozinha internacional com nuances locais únicas, como a forte influência cubana. Ainda não há um “Guia Michelin Miami”, mas chefs estrelados têm restaurantes por lá. E em diferentes áreas, há casas com boa cozinha e preços variados – um deleite para quem faz questão de unir a experiência na cidade à mesa.

 

Famoso por seus grafites, Wynwood é destino obrigatório nos roteiros turísticos. Consequentemente, o bairro é um dos que mais viram crescer a oferta gastronômica nos últimos anos. O Kyu chegou em 2016 para fazer cozinha americana com toques asiáticos e o resultado é surpreendente. Em um ambiente com jeito de galpão industrial, com paredes de concreto aparente e mobiliário em madeira e metal, o restaurante é perfeito para o almoço descontraído depois de um tour foto- gráfico pelos grafites do bairro.

 

Couve-flor com queijo de cabra surpreende pelo sabor

 

Os buns (pãezinhos cozidos no vapor) recheados com caranguejo dissolvem na boca de tão leves. A couve-flor com queijo de cabra é tão gostosa que provoca a inesperada cena de ser disputada até o último ramo. As carnes são feitas em um grill a lenha. Para sobremesa, um bolo fofo de coco tem doçura na medida certa. Na carta de drinques, destaque para o Moscow Mule, aqui chamado Wynwood Mule. As tradicionais canecas do coquetel à base de vodca e cerveja de gengibre são decora- das com desenhos inspirados nos murais locais.

 

Bun recheado com caranguejo: dissolve na boca de tão leve

 

Outra área renovada recentemente é a da Brickell Avenue e arredores, no centro comercial da cidade. Há menos de dois anos o premiado chef espanhol José Andrés, radicado em Washington, abriu o Bazaar Mar, delicioso restaurante de frutos do mar que se destaca entre a ampla oferta da região. Dá para ir de tapas e ficar assim por toda a noite. As porções são pequenas e plenas, de diferentes sabores e texturas – irresistível pedir uma depois da outra. Guarde lugar para a Key Lime Pie, tradicional torta de limão da Flórida, servida desconstruída, com vaporosa espuma cítrica tal qual uma nuvem sobre a massa à base de cream cracker.

 

Salão do Bazaar Mar foi projetado pelo designer Philippe Starck

 

O ambiente é outro ponto alto do animado restaurante, com um amplo salão projetado pelo designer Philippe Starck, onde o branco predomina, com motivos náuticos em azul. O chef, que tem duas estrelas Michelin pelo Minibar, em Washington, uma de suas mais de 20 casas nos Estados Unidos, realiza trabalhos humanitários através da organização sem fins lucrativos World Central Kitchen (WCK), que ajuda vítimas de desastres naturais. A WCK teve papel decisivo há um ano, em Porto Rico, quando o furacão Maria devastou a ilha. José Andrés em pessoa passou semanas comandando a cozinha principal de apoio aos desabrigados.

 

Pérez Art Museum Miami merece a visita pelo acervo e pelo restaurante

 

 

Perto do Bazaar Mar fica o Brickell City Center, inaugurado há menos de dois anos e repleto de boas ideias gastronômicas (além de dezenas de lojas em seus três andares). O La Centrale, aberto em fevereiro deste ano, é ótima opção para uma refeição rápida com bom custo-benefício. O complexo ocupa três andares do centro comercial, com mercado gastronômico, restaurantes, bares e enoteca. Aposte também no Mercato, no térreo, que lembra um pequeno Eataly. São sete estações de comida, com mesas comunitárias, oferecendo sanduíches, saladas, pizzas e massas. La Centrale também é um bom lugar para um café e um doce, como os tradicionais cannolis.

 

Antes de atravessar uma das pontes rumo a Miami Beach, não deixe de fazer uma escala cultural no sensacional Pérez Art Museum Miami. Com vista panorâmica para a Baía de Biscayne e o Porto de Miami, o museu de arte moderna e contemporânea latino-americana tem um restaurante dos mais simpáticos, o Verde. Com bons preços e bons drinks, fica cheio na hora do almoço e no happy hour (o restaurante abre para jantar somente às quintas-feiras, quando o museu funciona até as 21h). No cardápio, saladas, pizzas e tacos. Para sobremesa, vá de zeppole. É um bolinho de massa parecida com a de sonho, recheado com goiabada e queijo.

 

Em Miami Beach, siga para a divisa entre South Beach e Mid Beach. Mais ou menos entre as ruas 20 e 30 estão vários dos novos (ou renovados depois da destruição causada pelo furacão Irma, no ano passado) hotéis da cidade e seus quase sempre bons bares e restaurantes, inclusive de chefs estrelados, como o francês Jean-Georges Vongerichten. Um já clássico chama a atenção: The Dutch, com cozinha americana, fica no W South Beach. O hotel foi um dos primeiros a se destacar na nova fase mais artística de Miami. Com a reforma pós-furacão, está tinindo para comemorar sua primeira década em 2019.

 

 

La Centrale é uma opção para uma refeição com ótimo custo-benefício

 

Já o The Dutch é comandado pelo celebrity chef Andrew Carmellini, que tem uma ótima casa com o mesmo nome no SoHo nova-iorquino. O restaurante de Miami fica no térreo do hotel e atrai quem trabalha na região durante a concorrida hora do almoço e no happy hour, quando oferece a sessão Oysters & Bubbles (ostras com champanhe) pela metade do preço. Antes ou depois, aprecie a coleção de pop art que decora o amplo lobby do W South Beach, com obras de artistas como Andy Warhol. O The Dutch combina com uma visita ao Bass Museum, aberto de quarta-feira a domingo. O museu de arte contemporânea fica em um parque em frente e foi reinaugurado no fim de 2017, depois de dois anos de reformas.

 

 

Do SoHo para Miami: The Dutch, do chef Andrew Carmellini, abriu uma unidade na cidade

 

 

Mesmo em SoBe, a área mais festeira de Miami Beach, é possível encontrar um oásis de tranquilidade e boa cozinha. Rume para o extremo sul, no South Pointe Park, e conheça a filial da steakhouse Smith & Wollensky, que completou 20 anos e foi inteiramente reformada no final do ano passado. Chegue no final da tarde, antes do pôr do sol, escolha uma mesa ao ar livre, peça uma bebida e se encante com a paisagem e o vaivém dos navios de cruzeiros. Difícil é desviar os olhos do cenário para escolher um dos pratos, que, com certeza, também merecem a sua atenção.

 

Até 30 de setembro, quem quer comer bem sem gastar muito tem um bônus. Mais de 200 restaurantes participam do Miami Spice, que propõe menus com preços especiais no almoço e no jantar, nos quais estão inclusos entrada, prato principal e sobremesa.


Testados e aprovados

SUA VIAGEM NA REVISTA

Envie sua foto e conte porque mais pessoas deveriam conhecer este lugar.

Você pode gostar

  • VER MAIS